quinta-feira, 20 de junho de 2019

O que é o Reiki e seus benefícios

O Reiki é uma técnica japonesa que utiliza a troca de energia para revitalizar e harmonizar o corpo, usando as mãos como fonte desta energia para promover bem-estar, felicidade e serenidade.
Para praticar o Reiki, é necessário o desenvolvimento da consciência e do sentimento de amor incondicional, sendo que, assim, se passa de uma pessoa para a outra, um tipo de boa energia, que tem os seguintes objetivos: 
  1. Redução do estresse e ansiedade;
  2. Equilíbrio hormonal e diminuição dos sintomas de estresse;
  3. Redução das toxinas do organismo;
  4. Equilíbrio emocional;
  5. Aumento da criatividade;
  6. Aumento da calma, tranquilidade e serenidade;
  7. Aumento do autocontrole;
  8. Diminuição da impulsividade;
  9. Fortalecimento do sistema imune;
  10. Diminuição dos sintomas da depressão e da síndrome do pânico.
O Reiki faz parte do conjunto de terapias bioenergéticas, que são técnicas de exercícios e de respiração para ativar o fluxo de energia do corpo, causando benefícios ao organismo e à mente, como elevação da consciência, melhora dos pensamentos e comportamento. 
O que é o Reiki e seus benefícios

O que pode ser tratado pelo Reiki

Devido aos benefícios, o Reiki pode ser utilizado como terapia complementar problemas de saúde, como:

Ansiedade e depressão

Esta técnica pode ser uma excelente aliada para o tratamento da ansiedade, devido ao relaxamento e bem-estar que proporciona. Desta forma, os sintomas do estresse são aliviados, promovendo sensação de paz interior e calma, o que, também pode ter benefícios para a melhora da depressão e sintomas da TPM.

Dor crônica

O relaxamento produzido durante a prática do Reiki contribui para a diminuição dos níveis de estresse, o que melhora a tensão e a fadiga musculares. Desta forma, pode haver melhora de dores musculares e de cabeça, reduzindo a necessidade do uso de comprimidos analgésicos, por exemplo.

Insônia

A sensação de bem-estar aumenta a liberação de hormônios como serotonina e endorfina, que são excelentes aliados para afastar a insônia. Além disto, o Reiki causa relaxamento, o que também age para uma melhor noite de sono.

Benefícios do Reiki na gravidez

O relaxamento e calma proporcionados pelo Reiki podem ser muito úteis durante a gestação, pois podem diminuir a insegurança e o estresse comuns neste período, e proporcionar um parto com maior tranquilidade.
Além disto, o controle do estresse diminui a produção de hormônios negativos, como cortisol e adrenalina, que podem provocar aumento da pressão arterial, pré-eclâmpsia e aumentar o risco de parto prematuro.

Quando não fazer o Reiki

Esta prática não deve substituir tratamentos prescritos pelo médico, como para depressão, pressão alta, diabetes ou asma, por exemplo. O Reiki deve ser utilizado para o alívios de problemas leves, e como forma de auxiliar o tratamento das doenças, e, portanto, deve-se, consultar o clínico geral ou o médico que acompanha a doença antes de iniciar este tipo de terapia.
Fonte  www.tuasaude.combenefícios-do-reiki

Aulas de Chi Kung / Qi Gong
Segundas e Quartas - 9h às 10h
Prof. Valtesil Oliveira
Venha praticar uma aula experimental
Informações: (11) 2967-0598 ou 3926-0599
Rua Dias da Silva, 1158 - Vila Maria - SP
Visite nosso site: Instituto TAO - click aqui

terça-feira, 12 de março de 2019

Oss (artes marciais)


Oss (押忍, Ōsu, sim, senhor) é uma expressão fonética polissêmica. O primeiro caracter "osu" significa literalmente "pressionar", e determina a pronúncia de todo o termo. O segundo caracter "shinobu" significa literalmente "suportar". É usada pelos praticantes de Karatê no fito de mostrar respeito recíproco.
A expressão significa, de uma maneira mais simples, "perseverança sob pressão". É uma palavra que por si só resume a filosofia do Karatê. Um bom praticante é aquele que cultiva o "sentido de oss", de respeito pelo seu parceiro ou adversario.
Oss (artes marciais)
Nome em japonês
Kanji:大須

História

A expressão foi criada na Escola Naval Japonesa, e é usada universalmente para expressões do dia-a-dia, como "sim", "por favor", "obrigado", "entendi", "desculpe-me", para cumprimentar alguém etc.

Escopo

Para o caratê, em quase qualquer situação onde uma resposta seja requerida, o vocábulo é empregado. De outro modo, a expressão quer significar que o karateka deva pressionar a si mesmo ao limite de sua capacidade e suportar.
Não se deve dizer "oss" de forma relaxada, usando apenas a garganta, mas, como tudo no caratê, deve ser pronunciado usando o hara. Pronunciado durante o cumprimento, expressa respeito, simpatia e confiança no colega. Também diz ao sensei que as intruções foram compreendidas, e que o estudante irá fazer o melhor para segui-las.
Sua aplicação, na maioria dos casos:
  1. Ao chegar e ao sair do local de treino: o carateca ao chegar na entrada do dojo assume a posição de cumprimento em pé (Ritsurei), pronuncia vigorosamente, para avisar ao sensei, aos praticantes mais graduados e/ou mais vetustos (senpai) e menos graduados e/ou neófitos (kohai) de sua chegada ou saida. Quando o dojô estiver vazio, faz-se em respeito ao local a ao Mestre Funakoshi (tratando-se de Saudação Simbólica);
  2. Quando do encontro com outro praticante: a saudação deve chegar primeiro, de maneira vigorosa e com vivacidade, partindo sempre do menos graduado para o mais graduado. O aperto de mãos que vem em seguida já se procede de maneira contrária. Claro, porém, que o senpai não se negará a apertar a mão do kohai caso o mesmo venha a estender a mão primeiro.

Notas

[a]  A saudação "oss!" é impessoal, independe do grau de simpatía entres os karatecas. Quando um deles se nega por qualquer motivo a responder a saudação, o mesmo fica sujeito as sanções disciplinares previstas, porque tal atitude não condiz com a filosofia do caratê, seja qual estilo for.

Fonte https://pt.wikipedia.org/wiki/Oss_(artes_marciais)

Aulas de Chi Kung / Qi Gong
Segundas e Quartas - 9h às 10h
Prof. Valtesil Oliveira
Venha praticar uma aula experimental
Informações: (11) 2967-0598 ou 3926-0599
Rua Dias da Silva, 1158 - Vila Maria - SP
Visite nosso site: Instituto TAO - click aqui


quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

Técnica da Ventosaterapia


A Ventosaterapia é utilizada no Oriente há centenas de anos e sua aplicação além de favorecer a limpeza corporal, atuando nas trocas gasosas do impuro para o puro, elimina a toxidade que afeta o organismo, regula o PH sanguíneo e traz um efeito reflexo quando aplicada nos pontos ou meridianos de Acupuntura. O tratamento por ventosa consiste em trazer as células doentes do sangue, do interior do corpo para a superfície, por fortes absorções, recuperando as células doentes. Com o vácuo e a absorção na superfície do corpo, que abrem os vasos capilares e os poros, as toxinas são retiradas, ocorrem troca de gases, oxigenação do sangue, e a circulação sanguínea é ativada. É basicamente uma técnica de sucção através de uma campânula de vidro que produz um vácuo de determinadas regiões do corpo.

Tipos de ventosas
- ventosa seca: deixa manchas ou hematomas de coloração vermelha, marrom, roxa ou até preta no paciente. Elas permanecem no local por uma ou duas semanas e não causam dor. Assim faz-se o diagnóstico da qualidade do sangue do indivíduo;
- ventosa molhada: promove a leve retirada de sangue antes de sua aplicação com equipamento específico. Ela acompanha o tratamento com sangria porque é necessário cauterizar evitando-se o surgimento de uma infecção;
- ventosa deslizante: evita o hematoma e obtém os benefícios da técnica. É um recurso interessante para os fisioterapeutas e massoterapeutas, pois quando associada com a massagem, usando-se um meio lubrificante, demonstra ótimos resultados para redução da gordura localizada e principalmente das celulites. A massagem é usada trazendo um extraordinário benefício de relaxamento físico-mental, além de tratar doenças. Oferece bem-estar ao indivíduo, mantendo a flexibilidade dos músculos e eliminando os nódulos de tensões.

Indicações e benefícios
O tratamento 100% alivia problemas de reumatismo e nevralgias; aumenta o nível de cálcio do sangue; ativa secreção hormonal; acelera digestão; acalma nervosismo e auxilia contra o stress. Ainda é bem sucedido na eliminação de dores, tensões e contraturas musculares. Melhora o aspecto de cicatrizes cirúrgicas; fortalecimento dos vasos sanguíneos, tornando a corrente sanguínea mais eficiente, evitando-se os infartos e derrames.
A ventosa ajuda a controlar a pressão arterial e a arteriosclerose. Problemas respiratórios como nos casos de bronquite, enfisema ou asma também são tratados com essa terapia. Pode-se utilizar a ventosa ainda para curar febre, tosse, gripes e resfriados, alergias, furúnculos e intoxicações. Deve-se usar ventosa para combater comprometimentos da circulação, cansaço, formigamentos, dormências nos membros superiores e inferiores, dores de cabeça e ondas de calor. Facilita as trocas gasosas e regula o pH sanguíneo, mantendo-o numa faixa de acidez ligeira entre 7,2 a 7,5, aumentando a vida média dos glóbulos vermelhos e limpando os que se encontram degenerados. Trata intoxicação por substâncias químicas, remédios, gases e elimina todas as toxinas. Na Estética, a Ventosaterapia é muito utilizada como na redução de celulite e gordura localizada, através de ativação da circulação sanguínea e linfática, reduzindo a retenção de líquidos no organismo feminino.

Contra-indicações
O tratamento é contra-indicado em poucos casos: dermatites, psoríase, micoses, cortes e ferimentos recentes, insuficiência cardíaca de hipertensão do fogo, quadros viróticos e osteoporose.

Efeito colateral
A ventosa é excelente para tratar doenças de origens crônicas, isso porque se uma pessoa possui o metabolismo relativamente baixo, por exemplo, ela pode ter como causa um fator sangüíneo de excesso de acidez ou alcalinidade, e esse tratamento contribui eficientemente para que ocorra uma mudança na qualidade do sangue do indivíduo. Trata-se de um processo normal se ocorrer dos problemas parecerem piores após o tratamento, devido uma mudança da patologia que se transforma da fase crônica para aguda. Por isso deve-se fazer uma orientação prévia para o paciente não se assustar com a situação apresentada, mas o local tratado melhora efetivamente, acabando com o desequilíbrio em questão e as condições de saúde do indivíduo ficam ótimas.
Precauções importantes
Há que se ter cuidado ao aplicar as ventosas em mulheres grávidas e pacientes cardíacos. Deve-se levar em consideração o quadro clínico. Mulheres que se encontrem no período mestrual podem fazer ventosa de maneira suave. Para que o tratamento de ventosa seja bem sucedido é necessário orientar o paciente para que ele, em parceria com o tratamento, controle a alimentação, beba bastante água, visando auxiliar na fabricação de sangue com qualidade. A ventosa associada com a acupuntura, moxabustão, alimentação natural, ou qualquer outra terapia favorece ainda mais o tratamento. Uma aplicação não deve ser realizada em tempo muito distante da outra para não se perder o efeito do tratamento. E não é necessário esperar desaparecer por completo a reação do primeiro tratamento. A quantidade normal para uma aplicação é tratar uma vez ao dia, mas isso depende da situação do paciente. O melhor horário para se aplicar ventosa é pela manhã, mas pode-se também aplicar pela tarde e à noite. Para pacientes sem restrições, caso o objetivo seja um tratamento que vise apenas a manutenção da saúde, deve-se então efetuar uma aplicação a cada 15 ou 30 dias. 


Aulas de Chi Kung / Qi Gong
Segundas / Quartas / Sextas - 9h às 10h
Prof. Valtesil Oliveira
Venha praticar uma aula experimental
Informações: (11) 2967-0598 ou 3926-0599
Rua Dias da Silva, 1158 - Vila Maria - SP
Visite nosso site: Instituto TAO - click aqui

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

O poder da respiração - John Kabat-Zinn

O PODER DA RESPIRAÇÃO JOHN KABAT-ZINN

Os poetas e cientistas estão conscientes de que o nosso organismo pulsa com os ritmos da sua ancestralidade. Ritmo e pulsação são intrínsecos a toda a vida, desde a batida de cílios das bactérias aos ciclos alternados de fotossíntese e respiração nas plantas, aos ritmos circadianos do nosso próprio corpo e sua bioquímica. Esses ritmos do mundo vivo são encaixados dentro dos ritmos maiores do planeta em si, o fluxo e refluxo das marés, carbono, nitrogênio, oxigênio e os ciclos da biosfera, os ciclos do dia e noite, as estações do ano. Nossos próprios corpos estão unidos com o planeta em uma troca rítmica contínua de matéria e fluxos de energia que vão e vêm entre os nossos corpos e o que chamamos de “o meio ambiente.” Alguém uma vez calculou que, em média, a cada sete anos todos os átomos do nosso corpo vieram e foram substituídos por outros de fora de nós. Isto em si é interessante para pensar. O que eu sou, se pouco da substância do meu corpo se manteve a mesma em minha vida?
Uma forma desse intercâmbio de matéria e energia acontecer é através da respiração. A cada respiração, trocamos as moléculas de dióxido de carbono de dentro de nossos corpos por moléculas de oxigênio do ar circundante. Eliminação de resíduos a cada expiração, renovação com cada inspiração. Se este processo for interrompido por mais de alguns minutos, o cérebro torna-se carente de oxigênio e sofre danos irreversíveis.
A respiração tem um parceiro muito importante no seu trabalho, o coração. Pense nisso: Este músculo incrível nunca deixa de bombear durante toda a nossa vida. Ele começa a bater em nós muito antes de nascermos e simplesmente continua batendo dia após dia, ano após ano, sem uma pausa, sem um descanso por toda a nossa vida. E pode até mesmo ser mantido vivo por meios artificiais por algum tempo depois de estarmos mortos.
Tal como acontece com a respiração, o batimento cardíaco é um ritmo fundamental da vida. O coração bombeia o sangue rico em oxigênio dos pulmões através das artérias e seus capilares menores para todas as células do corpo, fornecendo-lhes o oxigênio de que necessitam para funcionar. Quando as células vermelhas do sangue liberam seu oxigênio, elas carregam-se de dióxido de carbono que é o principal produto residual de todo o tecido vivo. O dióxido de carbono é, então, transportado de volta para o coração através das veias e daí é bombeado para os pulmões, onde é descarregado na atmosfera pela expiração. Isto é seguido por outra inspiração, que novamente oxigena as moléculas portadoras da hemoglobina que vão ser bombeadas por todo o corpo na próxima contração do coração. Este é, literalmente, o pulsar da vida em nós, o ritmo do mar primordial internalizado, o fluxo e refluxo de matéria e energia em nossos corpos.
Desde o momento em que nascemos até o momento em que morremos, nós respiramos. O ritmo da nossa respiração varia consideravelmente em função de nossas atividades e nossos sentimentos. Ele acelera com esforço físico ou distúrbios emocionais e diminui durante o sono ou períodos de relaxamento. A título de experiência você pode tentar ser consciente da sua respiração quando você está animado, com raiva, surpreso, e relaxado e perceba como ela muda. Às vezes, a nossa respiração é muito regular. Em outros momentos, é irregular, até mesmo ofegante.
Temos alguma medida de controle consciente sobre a nossa respiração. Se quisermos, podemos prender a respiração por um tempo curto ou voluntariamente controlar a velocidade e a profundidade com que nós respiramos.
Mais lenta ou mais rápida, controlada ou entregue a si mesma, a respiração continua indo, dia e noite, ano após ano, por todas as experiências e estágios da vida que atravessamos. Geralmente nós a levamos completamente por óbvio. Não prestamos nenhuma atenção a nossa respiração, a menos que algo aconteça para nos impedir de respirar normalmente. Quer dizer, isso se não começarmos a meditar.
A respiração desempenha um papel extremamente importante na meditação e na cura. A respiração é um aliado extremamente poderoso e professor no trabalho de meditação, embora as pessoas sem treinamento em meditação achem nada disso e achem desinteressante.
As pulsações fundamentais do corpo são particularmente proveitosas para se concentrar durante a meditação, porque elas estão intimamente ligadas com a experiência de estar vivo. Embora teoricamente pudéssemos nos concentrar em nosso coração batendo ao invés de nossa respiração, é muito mais fácil para se tornar consciente da respiração. O fato de que é um processo rítmico e que está em constante mudança fará com que seja ainda mais valioso para nós. Pois ao nos concentrarmos na respiração quando meditamos, estamos aprendendo desde o início a nos familiarizarmos com a mudança. Vemos que teremos que ser flexíveis. Teremos de nos treinar para um processo que, não é apenas cíclico e flui, mas que também responde ao nosso estado emocional mudando seu ritmo, algumas vezes de forma bastante dramática.
Nossa respiração também tem a virtude de ser um processo muito conveniente para manter a consciência continuamente em nossa vida diária. Enquanto estamos vivos, pois ela está sempre com a gente. Não podemos sair de casa sem ela. Ela está sempre aqui para ser observada, não importa o que estejamos fazendo ou sentindo ou experimentando, não importa onde estivermos. Sintonizar com ela nos traz direto para o aqui e agora. Ela ancora imediatamente nossa consciência no corpo, em um processo rítmico fundamental da vida que flui.
Aulas de Chi Kung / Qi Gong
Segundas / Quartas / Sextas - 9h às 10h
Prof. Valtesil Oliveira
Venha praticar uma aula experimental
Informações: (11) 2967-0598 ou 3926-0599
Rua Dias da Silva, 1158 - Vila Maria - SP
Visite nosso site: Instituto TAO - click aqui

domingo, 10 de fevereiro de 2019

Meditação vipassana: a técnica de purificação mental


A meditação Vipassana é uma prática poderosa para erradicar as causas finais do sofrimento e obter a verdadeira felicidade resultante da libertação completa. Além disso, é uma das mais antigas técnicas de meditação na Índia. É um caminho transformador baseado na auto-observação e contemplação.


A Vipassana consiste em usar a nossa mente para encontrar as respostas para as grandes questões que nos afetam e que, de alguma forma, nos acompanham desde o início dos tempos: Quem sou eu? Como posso me libertar do sofrimento? Qual é a minha relação com o mundo?
Aqueles que dedicam as suas vidas a instruir os outros na prática da meditação muitas vezes repetem a mesma frase para os seus alunos: “Você precisa perceber onde está para chegar onde precisa ir”. Longe de ser a clássica e enigmática frase que diria o mestre Yoda, ela contém uma grande evidência sobre a qual vale a pena refletir por um momento.
“A meditação nos ensina a curar o que não pode ser suportado e a suportar o que não pode ser curado”.
-Allan Lokos-
No nosso agitado mundo moderno há muitas pessoas que colocam na sua vida mil e um projetos, desejos e objetivos. Todos nós fazemos isso. Na verdade, cada um de nós define grandes metas para um futuro próximo. No entanto, antes de alcançarmos esses objetivos devemos esclarecer de onde estamos partindo.
É necessário ver clara e objetivamente onde estamos, o que é tudo isso que nos cerca e que, de alguma forma, pode condicionar o acesso a esses propósitos vitais e, em última análise, nos fazer sofrer.
Temos o péssimo hábito de não nos aprofundarmos no sofrimento de fugir e aceitar o que nos incomoda. Somos especialistas na arte da ignorância, sem percebermos que, precisamente, é isso que nos leva a tropeçar e, às vezes, a cair na lama pesada causada pela progressão das nossas ações. As emoções conflitantes, como o ódio e a raiva, juntamente com o nosso egocentrismo, nos aprisionam e nos impedem de seguir em frente. Agora, como poderemos nos libertar?
A meditação budista tem dois aspectos que podem nos ajudar: samatha e vipassana. Embora neste artigo queiramos nos aprofundar na vipassana, é conveniente esclarecer que a prática de samatha é fundamental. Porque se não formos capazes de parar e obter uma clareza mental, não poderemos alcançar a mais profunda observação ou vipassana, uma prática isenta de todos os tipos de filosofia, seja religiosa ou doutrinal, para colocar ao nosso alcance uma estratégia de crescimento pessoal.
Assim, somente quando a mente estiver tranquila, seremos capazes de perceber muito mais coisas, chegar com maior segurança e equilíbrio aos objetivos propostos e, finalmente, desvendar as respostas desses mistérios que, às vezes, nos governam.
Pessoa praticando meditação vipassana

O que é a meditação vipassana

As pessoas que não estão familiarizadas com o mundo da meditação provavelmente pensam que todas são iguais. Meditar, para qualquer principiante, não parece mais do que um exercício em que você se senta numa certa posição, fecha os olhos e relaxa a mente. Agora, as pessoas que praticam a meditação Vipassana indicam que é crucial diferenciá-la de outras práticas.
  • Para começar, diz-se que ela tem mais de 2.500 anos de idade. Além disso, há textos que revelam que a sua origem vem da Índia, e que o próprio Buda Gautama a recuperou do esquecimento.
  • Além disso, a vipassana se traduz como um insight. Ou seja, como a capacidade de perceber e ver as coisas em toda a sua realidade, com todas as suas prodigiosas nuances. Em essência, é um impulso que, como um despertar, nos torna capazes de perceber algo e, por sua vez, permite nos livrarmos dos equívocos e das falsas crenças em relação à mente e ao mundo. O seu objetivo final é ver a realidade sem qualquer tipo de filtro, isto é, realizar uma observação profunda.
  • Um dos princípios da meditação Vipassana é nos fazer entender que a vida é frequentemente coberta por um tecido granular, denso e complexo. Somente quando aprendermos a meditar, poderemos treinar os nossos olhos para vermos através dessa textura com total clareza.
Meditação vipassana

Como é praticada a meditação Vipassana?

A meditação Vipassana requer que nos aproximemos com uma atitude muito particular. Devemos deixar de lado tudo que ouvimos ou acreditamos sobre a própria meditação em geral. Precisamos banir os preconceitos, estereótipos e qualquer tipo de concepção que possamos ter sobre ela.
É uma maneira de purificar o nosso foco, de estar mais receptivo do que nunca a tudo o que vamos aprender e experimentar. Não podemos esquecer que a mente, por si só, é muito enganadora. Às vezes, ficamos presos em um ciclo complexo de ideias, percepções, crenças e esquemas que dificultam a nossa abertura para o que nos rodeia. O que a meditação Vipassana exige é essa abertura.
  • Como já dissemos, nessa prática a respiração é combinada com o foco mental. Portanto, devemos estar cientes de cada sensação durante a entrada e saída de ar pelo nariz.
  • Além disso, devemos colocar o foco da atenção em algo muito específico (algumas pessoas olham para uma vela ou um objeto) para tomarmos consciência de como a nossa mente vagueia. Ela faz esforços para sair, para nos desobedecer.
  • Quando estamos focados em algo estável, fixo e imanente, estamos treinando a nossa percepção e atenção.
  • Da mesma forma, enquanto inspiramos e expiramos, devemos também estar conscientes das sensações experimentadas pelo próprio corpo. É como fazer um scanner do organismo e das suas sensações, todas que pudermos perceber da cabeça aos pés.
Depois de realizar esse treinamento físico por 10 a 15 minutos, chegaremos à nossa mente, ao nosso pensamento. Para isso, podemos nos concentrar em uma questão específica ou observar um evento externo. Observaremos o que está dentro de nós, vamos depurar os medos, ideias, pensamentos, crenças. Vamos ‘deixá-los ir’ enquanto a nossa mente flui, se acalma, relaxa…
Os textos antigos de Pali comparam a meditação Vipassana com o processo de domar um elefante selvagem. No princípio ele será violento, inquieto e muito nervoso. Mas, se nos aproximarmos com gentileza, calma e intuição, ele começará a ser receptivo às nossas carícias.



 Homem se dedicando à meditação vipassana

Os benefícios da meditação Vipassana são múltiplos, bem como aqueles que compartilham com os tipos de meditação mais básicos. Permite o amadurecimento da visão, causando o que Paravritti chamou de “um mergulho no lugar mais profundo da consciência”. A Vipassana nos oferece a possibilidade de alcançarmos a realidade última para vermos as coisas como elas realmente são.
Além da meditação, existe o conhecimento Vipassana, que é acessado pelos alunos mais avançados. Aqueles que são atraídos pelas virtudes dessa prática tendem a se aprofundar um pouco mais no conhecimento da mente e sua relação com o corpo. Assim, e dentro dessa abordagem ancestral, encontramos os 16 conhecimentos Vipassana.


Estes pilares teóricos vão desde o conhecimento da relação causa-efeito entre os estados mentais e físicos (paccaya nana pariggaha), até o conhecimento que analisa as impurezas da nossa mente (nana paccavekkhana). Estamos, sem dúvida, diante de um método muito interessante para aprendermos a nos conectarmos de maneira mais positiva e sábia com os nossos estados mentais… Um exercício que é sempre bom praticar.
Aulas de Chi Kung / Qi Gong
Segundas / Quartas / Sextas - 9h às 10h
Prof. Valtesil Oliveira
Venha praticar uma aula experimental
Informações: (11) 2967-0598 ou 3926-0599
Rua Dias da Silva, 1158 - Vila Maria - SP
Visite nosso site: Instituto TAO - click aqui

6 exercícios simples de meditação


O estresse se alimenta de problemas em diversos âmbitos, ou simplesmente de um ritmo de vida no qual os descansos são cada vez mais raros. Por isso, hoje vamos mostrar alguns exercícios simples de meditação que podem ajudá-lo a liberar a tensão acumulada do dia a dia.


A meditação facilita o autoconhecimento. Trata-se de uma técnica milenar que se originou na antiga Índia, é muito comum nas crenças budistas e hinduístas e se popularizou bastante no Ocidente durante os últimos anos.
Entre os benefícios da meditação, nós podemos ver uma importante melhoria na capacidade de concentração e no aperfeiçoamento da memória. Além disso, ela possibilita o relaxamento físico e mental a um nível geral.
Meditar também pode nos tornar mais fortes diante de algumas ameaças contra a saúde, já que a meditação contribui para o fortalecimento do sistema imunológico.

Exercícios simples de meditação

1. Concentrar a atenção na respiração

O primeiro destes exercícios de meditação também é um dos mais fáceis de incorporar à nossa rotina. Devemos nos sentar em uma posição relaxada e com os olhos entreabertos.

Enquanto isso, concentre toda a atenção na respiração, sem tentar modificar nenhum desses parâmetros. Tente sentir o ar entrando e saindo. Neste momento, é bem comum que apareçam muitos pensamentos que acabam distraindo a atenção. Agora, a nossa missão vai ser ignorá-los até perderem a força.
 Pausa no trabalho para meditar

2. Contar de trás para frente

Esta técnica é muito simples e também bastante útil na hora de meditar. Com os olhos fechados, vamos começar a contar de trás para frente, a partir de números elevados, como o 50 ou o 100, até chegar ao número zero.
O objetivo desta prática é concentrar a atenção em um único pensamento/atividade, de modo que nós consigamos eliminar as sensações provocadas pelo resto dos estímulos.

3. Examinar o nosso próprio corpo

Este é um dos exercícios simples de meditação mais interessantes. Devemos começar a examinar as diferentes partes do nosso corpo. Para isso, o mais recomendável é nos concentrarmos em um lugar de pouca estimulação. Depois, vamos colocar a nossa atenção em cada parte do corpo, da cabeça até os pés.
Devemos ir contraindo e relaxando os diferentes conjuntos de músculos, somente para sermos conscientes da sua presença e do seu movimento. Esta é uma forma bastante interessante de observar a nós mesmos e, com isso, perceber detalhadamente as sensações do corpo.

4. Observação dinâmica

Este exercício é baseado na observação do entorno. Para começar, vamos adotar uma posição confortável, sentados e com os olhos fechados. Em seguida, vamos abrir os olhos por um instante e, depois, voltaremos a fechá-los. Depois, só temos que refletir sobre aquilo que nós vimos.
Podemos pensar nas diferentes sensações produzidas pelos estímulos que chegam até nós. Podemos fazer uma lista deles, pensar em suas formas e cores, ou no nome de cada objeto. Além disso, praticar essa meditação em casa pode ser uma boa maneira de observar o nosso lar de um modo diferente.
Homem meditando em montanha

5. Meditação em movimento

Outro dos exercícios simples de meditação que podemos praticar está baseado no benefício das sensações prazerosas produzidas pelo nosso corpo quando estamos em movimento. O mais recomendável é fazer isso em contato com a natureza.
Podemos dar longos passeios pela praia ou pela floresta e, desse modo, aproveitaremos o calor do sol em nosso rosto, as carícias do vento, ou o toque das plantas e da água em nossas mãos. Além disso, pode ser uma outra forma de auto-observação, ao pensarmos nos movimentos do corpo enquanto estamos andando.

6. Meditação com o fogo

Por último, podemos usar o fogo como um elemento simbólico de purificação em nossa meditação. Com esse objetivo, podemos nos concentrar em uma fogueira no campo, ou algo muito mais fácil, como o movimento da chama de uma vela.
Isso vai permitir que nós percebamos as sensações de calor do fogo e as sombras, que serão projetadas nos objetos ao nosso redor.

Também podemos fazer uma lista dos aspectos negativos do dia a dia para jogá-la no fogo. Este ato, carregado de significado, vai nos ajudar a liberar aqueles problemas diante dos quais podemos fazer pouco ou nada.


Aulas de Chi Kung / Qi Gong
Segundas / Quartas / Sextas - 9h às 10h
Prof. Valtesil Oliveira
Venha praticar uma aula experimental
Informações: (11) 2967-0598 ou 3926-0599
Rua Dias da Silva, 1158 - Vila Maria - SP
Visite nosso site: Instituto TAO - click aqui

4 técnicas de relaxamento para dormir melhor


Frequentemente, o estresse e a ansiedade são aqueles cavalos de batalha que correm triunfantes pelas nossas noites de insônia. Para controlá-los, para apaziguar o ruído da nossa mente e a tensão do nosso corpo, nada melhor do que usar algumas técnicas de relaxamento para dormir bem. Elas são simples, são eficazes, e vale a pena praticá-las todas as noites antes de dormir.


Os especialistas em higiene do sono nos advertem que estamos dormindo cada vez menos. Há quem diga que a origem desse problema veio com a revolução industrial, outros com a chegada dos aparelhos eletrônicos e a Internet. Agora, o que os estudos nos dizem é que o maior ladrão do descanso noturno é o trabalho. A pressão pela produtividade, as complexas relações de trabalho e a preocupação em manter o emprego estão causando um grande impacto no nosso sono.
  “Se viver é bom, melhor ainda é sonhar, e o melhor de tudo, acordar”.
– Antonio Machado –
Não podemos ignorar que qualquer alteração no ritmo circadiano do sono traz uma série de problemas. A nossa memória, a atenção, a nossa capacidade de aprender e até mesmo o nosso estado de espírito são afetados por uma noite mal dormida.
Por outro lado, um artigo interessante publicado na revista “Psychology Today” nos adverte de que já somos uma sociedade habituada a dormir cada vez menos. No entanto, nem percebemos o quanto estamos cansados.
Precisamos refletir sobre isso…
Mulher cansada por causa do trabalho

Técnicas de relaxamento para dormir melhor

Se não conseguimos descansar à noite, é preciso usar técnicas de relaxamento para dormir melhor. Alguns estudos demonstraram que essas estratégias básicas de respiração, meditação e relaxamento progressivo são eficazes para ter um sono de qualidade. No entanto, é importante destacar outros aspectos importantes que são essenciais para melhorar a nossa noite de descanso.
  • A regulação circadiana “existe” em todas as células do corpo. O nosso fígado, os nossos rins, cérebro, sistema linfático e até mesmo a nossa pele, são programados para realizar tarefas importantes à noite e enquanto dormimos. Portanto, na medida do possível, devemos respeitar os ciclos de luz e escuridão e dormir naquelas horas de menos luz.
  • Os jantares devem ser leves.
  • É aconselhável desligar aparelhos eletrônicos duas horas antes de dormir. Eles são muito estimulantes.
  • A temperatura do quarto deve estar entre 15 e 22º. Mais frio ou mais quente afetará o nosso descanso.
Mulher meditando em casa

1. Técnica de Chi Kung para dormir melhor

A prática do Chi Kung tem a sua origem na medicina tradicional chinesa.Para aqueles que não sabem, esta disciplina tem o propósito de manter a saúde através do equilíbrio da mente, da respiração e do exercício físico. Entre seus exercícios podemos encontrar inúmeras técnicas para dormir melhor. Esta é uma delas.
  • Sente-se na cama com as pernas cruzadas e com os pés descalços.
  • Deixe a sua mente em branco, libere todos os pensamentos para se concentrar na respiração.
  • Inspire um pouco de ar pelo nariz e expire pela boca. Repita este processo quatro vezes.
  • Agora massageie a sola do pé somente com um dedo. Faça isso em círculos, no sentido horário por 3 minutos. Depois, repita o mesmo processo no outro pé.

2. Exercício baseado no treinamento autógeno

Esta técnica é muito eficaz para o tratamento de transtornos de ansiedade e psicossomáticos. O treinamento autógeno foi desenvolvido no século passado pelo neurologista e especialista em hipnose Johannes H. Schultz. É preciso concentrar a nossa atenção nas sensações físicas para provocar um estado de relaxamento profundo.
Vejamos um exemplo.
Mulher deitada no chão diante do mar
  • Deite-se na cama de forma confortável.
  • Feche os olhos e se concentre no braço esquerdo. Repita mentalmente “meu braço esquerdo está pesado, muito pesado e está quente”.
  • Repita essa frase cinco vezes até perceber fisicamente esse peso, esse calor.
  • Quando perceber o peso e o calor, diga a si mesmo “agora me sinto relaxado, agora estou completamente tranquilo”.
  • Em seguida, respire profundamente e levante o braço sentindo a sua leveza, seu relaxamento.
  • Continue com o mesmo procedimento em outras partes do corpo.

3. Imagem guiada com música

Outra das técnicas para dormir mais conhecidas é, sem dúvida, a imagem guiada. Essa estratégia é útil tanto para promover o relaxamento quanto para tratar as dores físicas, já que se baseia na ideia de que a mente e o corpo estão conectados. Essa união, esse laço de poder, é algo que podemos usar a nosso favor no dia a dia.
Este exemplo pode ser útil para nós.
  • Sente-se confortavelmente na cama de forma tranquila e relaxada.
  • Podemos usar algum tipo de música relaxante de que gostamos tanto: sons ambientais, melodias suaves…
  • Agora, coloque uma imagem na sua mente. Uma cena de paz cheia de estímulos suaves, envolventes e relaxantes. Pode ser uma casa com um lago, uma floresta, uma ilha, um pôr do sol no campo…
  • Todos os seus sentidos devem estar receptivos a esses estímulos: sinta a brisa fresca, o cheiro do mato, o som das árvores balançando ao vento, o sol da tarde na sua pele…
Floresta encantada

4. Respiração lenta, profunda e consciente

Em todas as técnicas de relaxamento para dormir melhor é preciso haver o controle da respiração. Respirar bem, respirar corretamente, gera benefícios incríveis no nosso corpo. Assim, algo que pode nos ajudar é aprender a praticar a respiração diafragmática.
O objetivo deste exercício é levar uma grande quantidade de ar para a área inferior do pulmão. Dessa forma, melhoramos a absorção de oxigênio, os nossos pulmões são beneficiados e favorecemos um estado de relaxamento total do nosso corpo.
  • Comece inspirando em profundidade por 4 segundos direcionando o ar para o abdômen.
  • Prenda a respiração por 7 segundos.
  • Em seguida, expire profundamente de forma sonora pela boca por oito segundos.
Para concluir, uma vez que já conhecemos essas técnicas de relaxamento para dormir melhor, devemos escolher aquelas que mais gostamos. O ideal é integrá-las na nossa rotina noturna, praticando por apenas meia hora antes de dormir. Com o passar do tempo, notaremos os seus efeitos maravilhosos.
Aulas de Chi Kung / Qi Gong
Segundas / Quartas / Sextas - 9h às 10h
Prof. Valtesil Oliveira
Venha praticar uma aula experimental
Informações: (11) 2967-0598 ou 3926-0599
Rua Dias da Silva, 1158 - Vila Maria - SP
Visite nosso site: Instituto TAO - click aqui